Acabou o dinheiro?

Acabou o dinheiro?

Ministro Paulo Guedes informou que pretende reduzir gradualmente o valor do Auxílio Emergencial de R$ 600,00 para R$ 200,00, isso por não haver “espaço fiscal” para manter o pagamento do benefício e pelo fato do Brasil estar gastando mais na pandemia que os demais países emergentes. Se isso acontece com as contas do governo federal precisamos estar atentos e fazermos três coisas, colocar tudo na ponta do lápis, cortar na própria carne e permanecer no azul.

Não importa se você é autônomo, empresário, empregado, servidor público ou beneficiário de algum programa social, é hora de colocar as contas na ponta do lápis. Nesse momento é importante que você faça seu orçamento, e que ele seja o mais resiliente possível. Anote todos seus gastos, inclusive os menores, não esqueça as dívidas, começando com as que possuem os juros maiores. Também anote todas as suas receitas. É preciso saber, de fato, como está sua saúde financeira na quarentena. Isso é necessário por que, no Brasil, segundo a CNDL, Confederação de Dirigentes Lojistas, 48% dos brasileiros não fazem revisão do orçamento e 20% não fazem nenhum tipo de controle. Por isso não perca tempo, comece já é envolva toda a sua família.

Além disso é necessário cortar na carne, se você já possui um orçamento é hora de revisá-lo, assim será possível identificar os gastos que são frequentes, os que são eventuais e aqueles que são desnecessários. Nesse momento é importante priorizar três despesas: com saúde, alimentação e educação. Alimentação e saúde por que deles dependem sua vida. A educação, porque ela será necessária para a preservação do seu emprego, no período pós-pandemia. Então faça cortes nos demais itens e evite compras por impulso.

Segundo a POF - Pesquisa do Orçamento Familiar, divulgada pelo IBGE, famílias que recebem até 2 salários mínimos gastam em média 62% da renda com alimentação e habitação, nesse momento de quarentena, que estamos em casa, esses gastos tendem a aumentar, mas é necessário permanecer no azul, pagando as dividas e mantendo o nome limpo, você pode precisar dele para fazer empréstimos. Para isso é necessário categorizar as despesas e estipular metas e reduzir gatos. Porém, a maior parte das famílias, nessa faixa de renda, são aposentados, beneficiários do bolsa família e demais benefícios sociais, que, provavelmente, ficarão sem dinheiro.