Endividamento das famílias bate recorde. E você já conhece seu perfil de endividamento?

Endividamento das famílias bate recorde. E você já conhece seu perfil de endividamento?

A Peic - Pesquisa de Endividamento e Intenção de Consumo, divulgada pela CNC, mostrou que no mês de junho de 2020 o percentual de famílias que declararam ter dívidas com cheque pré-datado, cartão de crédito, cheque especial, carnê de loja, empréstimo pessoal, prestação de carro e seguro alcançou 67,1%, batendo assim um novo recorde, o maior percentual desde janeiro/2010. Já o percentual de endividados com contas em atraso superou a maior alta que aconteceu em setembro de 2017. A pesquisa mostra ainda que 34,8% estão com a renda comprometida com as dívidas por mais de um ano. O principal vilão das contas ainda continua sendo o cartão de crédito, 76,1% tem essa dívida como a principal.

A renovação da alta do endividamento indica que as famílias estão demandando mais crédito no sistema bancário, seja para pagar dívidas e despesas correntes, seja para manter algum nível de consumo.

As incertezas sobre a recuperação da economia no pós-crise somam-se à proporção elevada de consumidores endividados. Sendo necessário o acesso ao crédito a custos mais baixos e alongar os prazos de pagamentos das dívidas, para com isso mitigar o risco de crédito no sistema financeiro.

Vários são os motivos que levaram a essa situação, sem dúvidas, o isolamento social e o aumento com gastos domésticos e habitação são um deles, contando também com a redução ou perca total da renda.

Porém não podemos culpar apenas a pandemia causada pela Covid19 por esses números alarmantes. A necessidade de satisfação elevada aliada à baixa tolerância a frustração gera O endividamento.

Basicamente contamos com três perfis de endividados, pessoas que apresentam dificuldades relacionadas a gestão financeira, são eles: o endividado passivo, endividado ativo e o sobre-endividado.

O Endividado Passivo é aquele que se encontra em uma situação de endividamento alheio à sua vontade, ou seja, por alguma circunstância adversa: desemprego, doença acidente ou divórcio.

O Endividado Ativo é aquele indivíduo que conscientemente contrai dívidas, ou seja, age deliberadamente para se colocar em situação de devedor. Ele se nega tanto a cuidar das próprias finanças quanto a analisar o que o motiva para o endividamento constante.

O sobre-endividado é aquele devedor de que está impossibilitado de pagar suas dívidas de forma durável, ou seja, é o momento em que o indivíduo entra em falência. Geralmente ele contrai uma dívida para pagar outra, ele tomou uma overdose de dívida. Em vez de organizar os gastos a partir de quanto ganha, ele gasta e depois pensa em como pagar as dívidas. Sempre achando que está tudo sob controle.

É preciso sentar e encarar de frente os problemas financeiros, descobrir as causas, motivações e saná-las, além avaliar os estragos que podem ser causados tanto no aspecto material quanto no afetivo.