Pensando em realizar investimentos o mercado financeiro? Então fuja das seguintes modalidades

Pensando em realizar investimentos o mercado financeiro? Então fuja das seguintes modalidades

Hoje muito se têm divulgado acerca de investimentos no mercado financeiro, o fato da Taxa Selic estar em 2% a.a. faz com que as pessoas busquem novas modalidades, que sejam rentáveis e seguras. Para isso além de conhecer o mercado e as técnicas de investimento é necessário conhecer os produtos para não “comprar gato por lebre”.

Existem produtos de “investimento” que parecem ser bons, porém podem ser uma forma de você, na verdade, perder dinheiro.

Iremos demonstrar aqui cinco tipos de aplicações que devem ser evitadas, o modo de funcionamento e porque não são uma boa opção.

1. Títulos de capitalização

Os títulos de capitalização são ativos comercializados que têm objetivos parecidos com os de uma aplicação financeira, com rentabilidade e demais características, e será o primeiro investimento que você deverá evitar.

Apesar de terem características parecidas com outras espécies de investimentos, esses títulos têm algumas características lotéricas, oferecendo o sorteio de bens de valor, como carros e até mesmo imóveis, como casas e terrenos.

O possuidor do título, ao final do período da aplicação, recebe o valor investido acrescido do reajuste e diminuído das taxas de administração que, em geral, são muito altas, sendo este o principal fator que exclui essa aplicação da lista dos melhores investimentos.

A grande promessa das empresas que oferecem esse tipo de aplicação é a possibilidade de ganhar um bom prêmio e, mesmo se isso não acontecer, o possuidor recebe o seu dinheiro de volta, acrescido dos juros e reajustes.

O grande problema é que os percentuais desses acréscimos, ou seja, a rentabilidade desse tipo de aplicação, é muito baixa, considerando outros investimentos disponíveis.

Somente seria vantajoso se o possuidor fosse sorteado, o que foge totalmente do seu controle, ficando a mercê da sorte, e não de seus conhecimentos sobre investimentos.

Isso implica dizer que, mesmo se você for um grande conhecedor do mercado, ainda assim ficaria sob a incerta possibilidade de ser sorteado e receber um prêmio que, talvez, nem seja do seu agrado.

Além disso, caso seja necessário resgatar o valor antes do prazo mínimo de aplicação, você pode, inclusive, perder dinheiro.

2. Aplicação automática de recursos

Existe um tipo de aplicação em que, todos os dias, quando o saldo da conta-corrente é positivo, automaticamente esse valor é transferido para uma conta de investimento no próprio banco. 

Esse procedimento é conhecido como aplicação automática de recursos, e é mais um que vamos excluir da nossa lista de melhores investimentos.

Pode parecer uma excelente alternativa para quem tem pouco tempo para cuidar de seus investimentos. No entanto, existe uma armadilha escondida nesse tipo de aplicação!

Primeiramente, permitir que um sistema bancário recolha o seu dinheiro e transfira para uma aplicação que você não conhece a rentabilidade e demais características não é um investimento, mas uma falta de controle de suas finanças.

Em segundo lugar, as taxas de administração cobradas nesse tipo de procedimento costumam ser absurdas, podendo variar de acordo com cada banco.

Além disso, para aquelas pessoas que fazem controle diário da movimentação da sua conta-corrente e necessitam de saldos bancários para fazer outras transações, podem ser prejudicadas caso o seu dinheiro seja realocado para uma aplicação financeira.

Sendo assim, nunca utilize a aplicação automática de recursos como um investimento.

3. Previdência com taxa de carregamento

Dentre as várias taxas existentes nos planos de previdência privada disponíveis hoje no mercado, há uma que chama a atenção dos investidores e torna a aplicação que realiza essa cobrança em um investimento passível de ser evitado.

Trata-se da taxa de carregamento. É uma cobrança realizada pela seguradora antes mesmo de o investidor fazer a aplicação no fundo em questão.

Geralmente, um investidor deixa para o banco entre 3 a 4 meses de contribuição. Entretanto, como esse tipo de investimento é de longo prazo e, infelizmente, a transparência neles não é uma característica marcante, o investidor acaba pagando esses valores sem mesmo perceber.

4. Fundos DI com taxas de administração elevada

Os fundos de investimentos do tipo DI são aplicações que têm suas carteiras compostas por ativos de renda fixa que, geralmente, têm sua rentabilidade atrelada à SELIC ou ao Certificado de Depósito Interbancário (CDI).

Apesar de ser um investimento vantajoso, existem casos em que eles devem ser evitados, e o motivo para isso está ligado às taxas de administração cobradas por alguns fundos. Podem existir fundos de bancos que cobrem até 5%!

Investimentos com taxas de administração superior a 2% devem ser evitados sempre, por mais atrativas que a taxa de rentabilidade possa parecer.

O investidor deve fazer um cálculo estimativo do valor que receberá ao término do período de aplicação, comparando com todas as taxas cobradas pelo banco possuidor do fundo DI.

5. Poupança

Vamos colocar a poupança como um investimento que deve ser evitado, mas a primeira coisa que você precisa saber é que ela não é uma aplicação financeira, como muitos pensam.

Um investimento é um valor que uma pessoa destina para que, futuramente, possa retirar acrescido das taxas de rentabilidade. Por essa característica de ganhos, não podemos classificar a poupança como um investimento.

Existiu um tempo em que ela poderia até gerar bons retornos financeiros, quando em 2012 a taxa SELIC estava baixa e a poupança rendia em torno de 70% dela, acrescida da taxa de retorno.

No entanto, surgiram os desarranjos da economia, a crise e a inflação, o que fez com que a poupança voltasse ao nível baixo de rentabilidade que conhecemos hoje.

Os investimentos devem ser instrumentos que blindem seu capital e lhe proporcione ganhos, lembrando que eles devem ser escolhidos levando em conta seus objetivos, sejam eles: renda passiva, aposentadoria ou independência financeira. Fuja do imediatismo e da busca por ganhos fáceis, dinheiro não cai do céu.