Saúde financeira: identifique os sintomas e descubra se está doente!

Saúde financeira: identifique os sintomas e descubra se está doente!

Normalmente uma doença é diagnosticada descobrindo-se os sintomas. É natural saber se alguém está gripado, se, de repente, apresentar sintomas como: febre, coriza, tosse e até dores pelo corpo. Mas como descobrir como anda nossa saúde financeira? Geralmente não nos preocupamos muito com essa área de nossa vida, por ser de natureza, uma área muito delicada e que não temos o costume de comentar esse assunto na hora das refeições ou nas reuniões de família, a não ser quando precisamos de um empréstimo ou socorro financeiro familiar, que é muito comum.

Porém como as doenças mais populares ou mais raras a saúde financeira também apresenta sintomas, e precisamos ficar atentos a esses sinais para, de uma hora para outra, não vermos nossas finanças pessoais “baixando a UTI”, pois em alguns casos o tratamento é doloroso e danoso, levando a insolvência financeira, ou seja, a incapacidade de honrarmos com nossos compromissos financeiros.

Então vamos apresentar aqui alguns sintomas a fim de que você, atentamente, faça uma aferição de sua saúde financeira e busque o tratamento adequado.

Sintomas:

Insuficiência crônica de dinheiro

Exatamente isso, não estamos falando nem de reserva de emergência, que é aquele recurso a ser utilizado nas horas de “aperto” ou quando surge uma situação inesperada como a perca do emprego ou um problema repentino de saúde. Mas do fato de não termos R$ 100,00 guardados, ou ainda de nunca termos dinheiro no bolso, esperando sempre pelo “pagamento do salário” no final do mês. Se essa é sua situação comece a se preocupar. É hora de começar um tratamento para sair dessa situação. Comer e gastar dinheiro é só começar, poupar e investir também, por isso pague-se primeiro, tenha uma meta de investimento e todos os meses guarde esse valor.

Dependência constante de empréstimos

O cartão de crédito é o maior vilão do endividamento dos brasileiros, segundo a última Pesquisa de Endividamento e Intenção de Consumo – PEIC da Confederação Nacional do Comércio - CNC , 72% dos entrevistados tinham como dívida principal o cartão de crédito, isso se deve, principalmente, ao fato do consumidor utilizar o crédito rotativo do cartão d crédito, como um complemento da renda. Paga-se a fatura do cartão para utilizá-lo novamente depois, o mesmo acontece com o limite do cheque-especial e o pior de todos, na renovação do empréstimo consignado, além é claro dos empréstimos realizados com amigos e familiares. Essa dependência denota que nossa saúde financeira inspira cuidados e não podemos ficar desatentos.

Utilização de altas taxas de juros

Outro sintoma característico de que se está com problemas na saúde financeira é a aquisição de crédito com altas taxas de juros, chegando a pagar até 8% ao mês, em Financeiras, isso acontece por uma evolução natural da enfermidade financeira, o fato de não ter reserva de emergência e de depender constantemente de empréstimos poderá leva-lo ao inadimplemento e consequentemente a restrição a contratação de novas operações, o fato é que hoje existem empresas que “prometem” empréstimos sem consulta ao SPC/SERASA mas cobram o preço por isso. Se você estiver nessa situação não perca tempo, procure o mais rápido possível ajuda, você poderá estar entrando em uma situação de sobre endividamento, ou seja, pegando empréstimo para pagar empréstimo.

É importante durante a quarentena e a pandemia, quando nosso foco está quase que completamente voltado para nossa saúde física e emocional, darmos atenção também a nossa saúde financeira, atentar-se aos sinais e entender que precisamos combater esse mal, que é o endividamento, que arruína famílias, destrói casamentos, leva ao vicio e até a morte física. Faça um Raio X das suas finanças, anote todas as dívidas, elenque pelas de juros maiores e mais fáceis de serem negociadas, assim com as enfermidades em geral, a doença financeira também têm cura.