De olho em 22, Petecão recebe Bocalom em sua residência em Brasília; "Tratamos sobre emendas e também política, claro", diz prefeito

De olho em 22, Petecão recebe Bocalom em sua residência em Brasília; "Tratamos sobre emendas e também política, claro", diz prefeito

Em agenda em Brasília, o prefeito de Rio Branco, Tião Bocalom, foi recebido na manhã desta quarta-feira (23) pelo coordenador da bancada em Brasília, senador Sérgio Petecão (PSD), na residência do parlamentar na Capital federal para um café. Ambos conversaram sobre emendas de bancada e obviamente política nacional e local.

"Tratamos sobre as emendas e também sobre política, claro", disse o prefeito, que detalhou apenas a conversa sobre as emendas.

"Vim como presidente da Amac também. Os municípios do Acre têm R$ 180 milhões de 130 emendas. Oito emendas são para Rio Branco. São investimentos em setores como a infraestrutura e equipamentos agrícolas", afirmou Bocalom.

Já em seu Facebook, Bocalom afirmou que colocou "o papo em dia" com Petecão e também tratou sobre “os futuros investimentos” para Rio Branco.

Ainda nesta quarta-feira, Bocalom tem agenda com o deputado federal Léo de Brito (PT), o senador Márcio Bittar (MDB) e uma reunião na Superintendência do Patrimônio da União para tratar sobre áreas do órgão em Rio Branco que podem ser destinadas à construção de casas populares.

Petecão ou Gladson?

Em recente participação no Papo Informal (podcast do Notícias da Hora), Bocalom não disse quem será seu candidato a governador em 2022, se Petecão ou Gladson. O prefeito de Rio Branco, porém, ponderou: "Se eu levar pelo lado de você devolver aquilo que lhe fizeram, eu tenho que apoiar o Petecão. Por isso eu não quero discutir essa situação nesse momento. Esse momento é trabalho".

Bocalom tem evitado declarações sobre o pleito do ano que vem, pelo menos publicamente. O prefeito, que é correligionário do governador Gladson Cameli e vice-presidente do PP, mas foi apadrinhado pelo senador Sérgio Petecão (PSD) nas eleições municipais passadas, afirmou que só pensa em uma coisa no momento: administrar Rio Branco. Ele quer discutir eleições só no ano que vem.