CPI no Acre nunca resolveu nada e serve apenas como palanque político e midiático

CPI no Acre nunca resolveu nada e serve apenas como palanque político e midiático

Bom dia! Boa tarde! Boa noite!

Respeitável público… é hora do circo!

E todos poderão ganhar pizza no final da exibição!

Às vésperas das eleições gerais de 2022 vai começar mais um espetáculo de palanque político e midiático com a instalação de uma CPI para investigar atos de corrupção na Educação.

Perguntar não ofende, mas o que essas comissões da Aleac resolveram até hoje além de render um punhado de diárias para quem participa dos trabalhos e generosos espaços publicitários para seus autores nos jornais?

Vamos a um rápido relato de algumas CPIs da Aleac em que os resultados viraram orelhas de freira e bosta de alma.

A população protestou contra as contas abusivas de energia. Os bravos deputados foram às ruas, fizeram discursos inflamados nas manifestações e instalaram a CPI da Energisa.

As tarifas não baixaram, a empresa sequer foi notificada e nem os “gatos” nos relógios que foram denunciados para avexar o consumo foram espantados.

Quais os frutos da CPI da Energisa?

Na minha casa pelo menos a conta sobe todo mês.

Teve ainda a CPI da pedofilia que prometia livrar as criancinhas dos pedófilos em todas as calasses sociais. Até hoje ninguém sabe do relatório final. “Foi entregue”, disse o relator.

Segundo informações de pessoas que participaram dos trabalhos, quando a lista dos denunciados por pedofilia foi apresentada o interesse para investigar foi sepultado.

O autor destaca que uma das grandes conquistas da CPI da pedofilia foi a criação de uma delegacia. Ela não serviu para prender nenhum dos figurões denunciados e que não tiveram seus nomes e crimes revelados.

Quem são os pedófilos denunciados nesta CPI?

Mas não para por aí. A CPI dos Consignados foi instalada na Aleac. Ela tinha como objetivo proteger o servidor que tem boa parte de seus salários comprometidos.

Essa, segundo fofoqueiros de plantão, rendeu apoio para campanha.

Os abusos das financeiras acabaram após a CPI dos Consignados?

Calma, meus três leitores, teve a CPI para a investigar a qualidade do serviço prestado por operadores de telefonia móvel no Estado.

Os resultados desta comissão bastam os leitores buscarem arquivos recentes de jornais sobre os apagões na telefonia. Eles permanecem e afetam todos os municípios.

Qual a operadora que foi penalizada nesta CPI?

A questão que envolve as CPIs na Aleac é levada a pagode, como dizia minha falecida avó.

De uma única tacada foram apresentados sete requerimentos para criação de comissões. Isso explica por que sete é conta de mentiroso.

O certo é que não devemos perder a esperança. Vai que rola algo diferente na CPI da Educação.

Enquanto isso, vamos observar as declarações dos deputados investigadores e cobrar que algo de produtivo saia no relatório final.

O curioso é que os bravos parlamentares vão investigar denuncia que já foi investigas pela Polícia Civil e já teve denúncia apresentada pelo Ministério Público do Acre.

Daniel Zen, o deputado autor do requerimento da CPI, nos tempos de governos da FPA era totalmente contrário a investigações.

Ele chegou a apresentar cinco pedidos de CPIs ao mesmo tempo para atrapalhar um pedido de investigação que a oposição pediu no governo Tião Viana.

Não esqueça de providenciar a merenda (que poderá ser pizza) e não se preocupem que computador não vai faltar para acompanhar esse drama mexicano no Poder Legislativo em tempo real.

Só falta acionar a falecida Floresta Digital para não faltar internet 0800.