Muita gente ficou rica montando empresas dentro de hospitais’, diz ex-gestor

Bom dia! Boa tarde! Boa noite!

“O governador Gladson Cameli tem razão quando expõe a existência de um cartel na Saúde”. A frase é de um ex-gestor que em um bate-papo com este blogueiro afirma que há muitos anos a pasta funciona como um verdadeiro balcão de negócios de empresários e até de alguns servidores que viraram empresários e ganharam verdadeiras fortunas montando empresas dentro de hospitais públicos. “Profissionais da área de saúde recebiam incentivo para abrir empresas e abocanharem belas quantias da verba do SUS. Conheço gente que ficou milionária usando a estrutura pública de saúde. Abriam empresas para tudo e usavam os equipamentos comprados com dinheiro da população. Alguns ganhavam dinheiro elaborando laudo de exames produzidos pelos hospitais”.

“Muita gente ficou rica montando empresas dentro de hospitais. Elas são as mesmas pessoas que tentam prejudicar o andamento da pasta no atual governo. Eles tiveram interesses contrariados na mudança de administração. Uma investigação séria poderia expor as entranhas das negociatas realizadas na Secretária de Saúde”, destaca o ex-gestor que manteremos o nome em sigilo. Portanto, não é querendo defender o “governador do agronegócio ambiental”, mas ele tem mesmo que pedir a abertura da caixa preta da saúde, revelando para a população os métodos, manhas, artimanhas e as estripulias de alguns servidores e de empresários que encheram os bolsos com o suados dinheiro de nossos impostos que não custearam uma saúde pública de qualidade.

Cirurgias particulares agendadas em hospitais públicos

Outra informação repassada pelo ex-gestor foi sobre as cirurgias particulares agendadas em hospitais públicos. De acordo com a fonte do blog, pacientes do interior foram vítimas de agenciadores que agiam nos corredores da Fundhacre. A tática usada era vencer o paciente pelo cansaço, esperando vários meses pelo tratamento. Um exemplo citado foi o de um pequeno produtor do Vale do Juruá, que veio a Rio Branco fazer uma cirurgia de próstata. Depois de esperar mais de oito meses e sofrer fortes dores, ele foi abordado por uma servidora e direcionado a um consultório particular. Desesperado por uma solução, o pequeno produtor vendeu um gado que tinha e pagou pela cirurgia em uma clínica que seria de propriedade de um servidor público do estado.

Os poderes querem maior fatia no bolo

 porco 01

Os poderes querem uma maior fatia do orçamento do estado. Nos bastidores, as articulações e pressões já estão sendo sentidas pelo chefe do Poder Executivo, responsável pelo rateio dos bilhões arrecadados pelo estado e complementados por verbas federais. Até a aprovação da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LOA), o governador poderá ser surpreendido com algumas ações legais que podem causar algum embaraço para sua administração. Ninguém que ficar com os farelos que caem da mesa, todos querem uma boa fatia para saborear do café da manhã, almoço e janta. Dividir dinheiro todo mundo quer, mas bater cabeça com o déficit da Previdência, problemas na saúde e segurança, ninguém ainda se apressou para juntar esforços com Cameli. Segura a onda, Riquinho.