“O grupo político dos irmãos Rocha tenta derrubar Antônia Lúcia do comando do PL no Acre”, diz membro da executiva do partido

“O grupo político dos irmãos Rocha tenta derrubar Antônia Lúcia do comando do PL no Acre”, diz membro da executiva do partido

Bom dia! Boa tarde! Boa noite!

A política, definitivamente, não é para amadores. Isso se estende ao jogo eleitoral que será disputado em 2022.

As rasteiras e camgapés já estão sendo articuladas nos bastidores políticos do Acre e de Brasília com vistas ao processo eleitoral.

A missionária e ex-deputada federal Antônia Lúcia é uma que tem que orar muito para não ser destronada do comando do PL no Acre.

“O grupo político dos irmãos Rocha tenta derrubar Antônia Lúcia do comando do PL no Acre”, foi o que disse um dirigente do partido a este blogueiro.

Segundo o dirigente, as articulações aconteceram antes mesmo da deputada federal Mara Rocha abandonar o PSDB. A reunião aconteceu em Brasília.

“Eles procuraram o presidente da executiva nacional do PL, Valdemar Costa Neto. Prometeram levar lideranças políticas e um deputado para o partido”, diz o ainda dirigente do PL.

A estratégia seria repetir o que foi feito no PSL, quando o vice-governador Major Rocha pegou o comando em Brasília, mas manteve o presidente da sigla como um tipo de presidente laranja.

“A missionária Antônia Lucia tem que orar de olhos abertos. O jogo é bruto”, destaca a fonte do blog.

As articulações envolveriam ainda um ex-secretário e uma pessoa que ocupa um cargo de destaque no governo de Gladson Cameli.

O objetivo seria lançar uma chapa majoritária completinha nas eleições do próximo ano.

Missionária, se cuide. Dizem que a fé move montanhas, mas os irmãos Rocha podem ser as pedras no seus sapatos.

Vou estica um pouquinho nosso bate-papo, meus três leitores.

Terceira via
A questão do PL foi esclarecedora. Há alguns dias questionei a Major Rocha: Tem conversado com o Petecão sobre eleição?

Rocha respondeu: “Quem está preocupado com 2022 é o Gladson. Ainda é muito cedo para decidir qualquer coisa. Agora fica o Evandro Cordeiro inventando alianças que não existem”.
Conformado que o comando do PL fica com os irmãos Rocha a possibilidade de uma terceira chapa para concorrer com Gladson e Petecão é real.

Quarta via
O vice-governador disse ainda que “o pessoal do Márcio ligou para saber se eu apoiaria uma candidatura dele ao governo”.

Rocha disse que respondeu aos correligionários de Bittar que “está muito cedo para definir. O certo é que não vou com Gladson”.

Será que teremos Gladson, Petecão, Rocha e Bittar batendo chapa?

CPI ampla
Os deputados de oposição e independentes dizem que a proposta de ampliar CPI para investigar governos passados vai levar a família do governador Gladson Cameli para o olho do furacão.

Eles destacam que as empresas de familiares do chefe do executivo trabalharam em administrações da Frente Popular do Acre, coligação comandada pelo PT.

Os parlamentares que fazem essas afirmações estão ligados umbilicalmente aos governos petistas.

Eles citam como exemplo as obras de saneamento e pavimentação nos municípios isolados, trechos da BR-364 e Programa Ruas do povo.

Os oposicionistas que passaram 20 anos na situação e conhecem as entranhas dos contratos celebrados pelos governos do PT tentam contra-atacar a sugestão de Gladson.

O governado sugere que todos os contratos sejam passados a limpo e diz que não teme as investigações.

Um gigante dividido
Tem emedebista reivindicado seu naco de poder. Alguns demonstram revolta nos bastidores do MDB.

Caciques que foram esquecidos afirma que Gladson levou Bittar e Flaviano, mas uma grande parte da legenda ficou sem cobertor.

No caso do Acre, como é quente, sem pelo menos um ventilador.

O pacote deixou de fora ainda o prefeito Mazinho Serafim e Vagner Sales, lideranças expressivas de Sena Madureira e Cruzeiro do sul.