Rodrigues Alves volta a ficar sem balsa nesta terça-feira para a travessia do Rio Juruá, denuncia vereadora

Rodrigues Alves volta a ficar sem balsa nesta terça-feira para a travessia do Rio Juruá, denuncia vereadora

A situação dos moradores de Rodrigues Alves não é das melhores. A comunidade segue sem a balsa para fazer a travessia do Rio Juruá, com destino a Cruzeiro do Sul. A balsa alugada por R$ 93 mil por mês, do empresário Assem Cameli, está em conserto há mais de uma semana.

Nesta terça-feira (11), a Marinha do Brasil, que fiscaliza as embarcações nos rios da Amazônia, suspendeu a balsa provisória encaminhada pelo governo do Estado por falta de adequação às exigências legais da navegação. A informação foi repassada pela vereadora Terezinha Fernandes (PCdoB).

“Peço que o governo do Estado encontre uma solução. A Deodato [balsa Comandante Deodato], por exemplo, que é uma balsa do Deracre, hoje está recuperada, mas não tem documentos. Entretanto, está em perfeito estado. Foi reformada, não sei porque o Deracre gastou absurdos e não documentou, deixou nós 100% reféns do Assem?”, questionou a vereadora ao lembrar que foram gastos R$ 360 mil em 2020 para recuperar a Comandante Deodato.

Na última semana, o Notícias da Hora relatou o drama de pacientes que buscavam atendimento médico e hospitalar em Cruzeiro do Sul. Duas ambulâncias faziam a baldeação dos pacientes, uma em cada margem do Rio Juruá.